ECONOMIA - FGTS: 56% dos saques serão utilizados para pagar dívidas

Compartilhar

Publicado em 16 de setembro de 2019

Do total de pessoas que irão sacar os R$ 500 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), a partir desta sexta-feira (13/9), 56% utilizarão o dinheiro para pagar as contas, sendo que 42% irão pagar as que estão atrasadas e 14% as que estão em dia, segundo pesquisa feita pela Boa Vista.

Sobre os tipos de conta que pretendem pagar, 37% disseram que pagarão débitos do cartão de crédito. Dívidas pagas com boleto serão a finalidade do FGTS de 27% dos consumidores que farão o saque.

Outros 11% usarão o valor para o pagamento de dívidas de crediário, enquanto 10% pagarão empréstimos. Além disso, 7% usarão o dinheiro para pagar despesas normalmente pagas com cheques. Contas de telefone (6%) e financiamento de automóvel (2%) foram os outros tipos de dívidas apontadas.

Para 46% dos consumidores que farão o saque, o valor do FGTS possibilitará o pagamento de menos da metade das dívidas.

Outros 14% afirmam conseguirão pagar todos os débitos com o valor do saque. Já para 9%, mais da metade das contas poderão ser pagas com o valor do saque.

O levantamento identificou ainda que 14% dos consumidores entrevistados que farão o saque irão guardar o valor. Outros 12% afirmam que pretendem usar o dinheiro para fazer compras no varejo, enquanto 6% pretendem viajar. Por fim, os 12% dos consumidores restantes usarão o valor para outros fins.

Segundo a pesquisa, realizada entre os meses de agosto e setembro, em todo o País, com cerca de 300 consumidores, do total de pessoas que têm direito ao saque dos R$ 500, 67% pretendem realizá-lo tão logo seja liberado.

Considerando apenas os consumidores desempregados, essa fatia aumenta para 81%. Ainda dentro do que têm direito, 33% afirmam não pretender retirar o valor.

Voltar a listagem de notícias